domingo, novembro 26, 2006

MÁRIO CESARINY (1923-2006) : link








Voz numa pedra

Não adoro o passado
não sou três vezes mestre
não combinei nada com as furnas
não é para isso que eu cá ando
decerto vi Osíris porém chamava-se ele nessa altura Luiz
decerto fui com Ísis mas disse-lhe eu que me chamava João
nenhuma nenhuma palavra está completa
nem mesmo em alemão que as tem tão grandes
assim também eu nunca te direi o que sei
a não ser pelo arco e flecha negro e azul do vento

Não digo como o outro: sei que não sei nada
sei muito bem que soube sempre umas coisas
que isso pesa
que lanço os turbilhões e vejo o arco íris
acreditando ser ele o agente supremo
do coração do mundo
vaso de liberdade expurgada do mênstruo
rosa viva diante dos nossos olhos
Ainda longe longe a cidade futura
onde "a
poesia não mais ritmará a acção
porque caminhará adiante dela"

Os pregadores de morte vão acabar?
Os segadores do amor vão acabar?
A tortura dos olhos vai acabar?
Passa-me então aquele canivete
porque há imenso que começar a podar
passa não me olhes como se olha um bruxo
detentor do milagre da verdade
"a machadada e o propósito de não sacrificar-se não constituirão
ao sol coisa nenhuma"

nada está escrito afinal


Fotografia > Fernando Lemos (n.1925)
> Mário Cesariny de Vasconcellos / A Mão Secreta da Escrita, c. 1950,
Col. Berardo, Lisboa

Obras > Mário Cesariny (1923-2006)
> Soprofigura, 1947, pintura (col. Galeria Neupergama, Torres Novas)
> Voir deux foix, c. 1947, desenho/colagem (col. Alberto Caetano)
> Sem Título, s/data, objecto (col. Fundação Cupertino de Miranda, Famalicão)
> Voz Numa Pedra, in Pena Capital, 1957, ed. Assírio & Alvim, Lisboa, 2004

Pesquisar Mário Cesariny

http://www.astormentas.com/cesariny.htm
http://www.revista.agulha.nom.br/mcesariny.html

http://www.aldinaduarte.com/blog/?p=709#comments
http://retrato-auto.blogspot.com/2006/11/cesariny-ainda.html
http://daliteratura.blogspot.com/2006/11/cesariny-1923-2006.html
http://frenesi-livros.blogspot.com/2006/11/na-morte-de-um-pirmano.html
http://vidainvoluntaria.blogspot.com/2006/11/os-novembrinos-abrem-alas-para
http://almocrevedaspetas.blogspot.com/2006_11_01_almocrevedaspetas_archive
http://antologiadoesquecimento.blogspot.com/2006/11/mrio-cesariny-1923-2006.html
http://antologiadoesquecimento.blogspot.com/2006/11/cesariny-um-cadver-esquisito.html
http://welcometoelsinore.blogspot.com/2003/12/gente-que-brilha-v-sempre-muito-e-uma
(...)

[
R]

Etiquetas: ,

5 Comentários:

Anonymous BaLa escreveu...

uma certa quantidade

Uma certa quantidade de gente à procura
de gente à procura duma certa quantidade

Soma:
uma paisagem extremamente à procura
o problema da luz (adrede ligado ao problema da vergonha)
e o problema do quarto-atelier-avião

Entretanto
e justamente quando
já não eram precisos
apareceram os poetas à procura
e a querer multiplicar tudo por dez
má raça que eles têm
ou muito inteligentes ou muito estúpidos
pois uma e outra coisa eles são
Jesus Aristóteles Platão
abrem o mapa:
dói aqui
dói acolá

E resulta que também estes andavam à procura
duma certa quantidade de gente
que saía à procura mas por outras bandas
bandas que por seu turno também procuravam imenso
um jeito certo de andar à procura deles
visto todos buscarem quem andasse
incautamente por ali a procurar

Que susto se de repente alguém a sério encontrasse
que certo se esse alguém fosse um adolescente
como se é uma nuvem um atelier um astro

Mário Cesariny,
pena capital

E agora procuramos todos as palavras esquecidas do poeta autónomo das estradas que levam a elsinore.

27 novembro, 2006 11:28  
Blogger aldina escreveu...

Sei que se mantem desperto na eternidade dos dias o poeta de todas as formas de vida.

Até sempre!

27 novembro, 2006 12:37  
Anonymous propranolol escreveu...

Eu penso o mesmo que Bala e Aldina. Creio que poetas e artistas como Cesariny também nos ajudam a dar sentido à existência.

27 novembro, 2006 14:40  
Blogger bettips escreveu...

Homem-turbilhão e silêncio. Um poeta morto, vive ainda pelos dedos nossos. Pelos nossos olhos sempre que o procurarmos. Pelas dores nossas sempre que o sentirmos.

28 novembro, 2006 16:39  
Blogger Luis F. escreveu...

Espero que este link também sirva para os pesquisadores de Cesariny, que tive a sorte de conhecer numa sexta-feira 13:
http://lavionrose.blogspot.com/search?q=cesariny

15 dezembro, 2006 18:21  

Enviar um comentário

Ligações para este artigo:

Criar uma hiperligação

<< Home