domingo, março 05, 2006

DEZASSETE MIL MILHÕES

... (etc., etc., etc. etc.)

A propósito de dívidas ao fisco, transcreve-se uma pequena nota de João Garcia no
jornal Expresso em Altos e Baixos:

"17 mil milhões de euros é tanto dinheiro que para se ter noção do seu valor é
necessário convertê-lo em pontes Vasco da Gama
(dava para oito) ou em linhas
de TGV entre Lisboa e Porto
(faziam-se quatro). 17 mil milhões de euros é quanto
alguns
contribuintes devem ao fisco, e por isso são de aplaudir as medidas que o
ministro das Finanças está a preparar para
denunciar e combater os faltosos.
Vamos ver como reagem em
público aqueles que, em privado, tanto gostam de se
vangloriar
sobre a forma como iludem o fisco".

Saudações ultraperiféricas.
[R]

Etiquetas:

3 Comentários:

Blogger João Dias escreveu...

Diga-se que 17 milhões mil milhões são as dívidas de que se tem conhecimento, se a máquina fiscal fosse mesmo eficiente eu sugeria uma ponte que fizesse ligação Portugal-Brasil...

:-)

07 março, 2006 16:30  
Anonymous Roteia escreveu...

É isso mesmo João! Podíamos até fazer outros investimentos não relacionados com obras de engenheiria. Por exemplo na Educação ou na Cultura, verdadeiros motores de desenvolvimento.
Não sei como se chegou a este número de 17 mil milhões, mas sei, todos sabemos, que a economia paralela (isto é, a economia não declarada e não tributada) é um fenómeno gigantesco em Portugal.
Os defensores dos sacrifícios dos portugueses continuam a ignorar este problema. Vêm à televisão falar de crise ano após ano e reclamar sucessivas medidas governamentais, esquecendo essa infâmia nacional que é fazer pagar impostos áqueles que trabalhando por conta de outrém não lhes podem fugir e deixar os que podem fugir na maior das ostentações, lado a lado com a pobreza crescente.
E o pior de tudo é que os interesses instalados têm capacidade para fazer cair um governo que se atreva a mexer radicalmente nos privilégios.

07 março, 2006 20:37  
Anonymous oyun escreveu...

thanks very good

11 novembro, 2008 09:25  

Enviar um comentário

Ligações para este artigo:

Criar uma hiperligação

<< Home