domingo, fevereiro 19, 2006

COLECÇÃO BERARDO NO CCB?



Durante anos, as negociações entre o Estado e o empresário Joe Berardo pareciam
não sair do impasse. Mas em Dezembro último, com a garantia do 1º Ministro José
Sócrates, anunciava-se finalmente a localização do futuro museu de arte moderna
da Colecção Berardo no Centro Cultural de Belém.
Agora, Berardo ameaça romper acordo com Governo, conforme noticiou o Expresso
este Sábado. Para complicar as coisas, no mesmo dia, a Ministra da Cultura Isabel
Pires de Lima, vem lamentar que o coleccionador tenha trazido o assunto para os
jornais quando se dava início a uma fase definitiva do processo negocial.

E Portugal continua museológicamente ultraperiférico!
[R]

Escultura > Juan Muñoz (1953-2oo1), Espanha
> After Degas II, 1997. Colecção Berardo

Etiquetas: , ,

5 Comentários:

Blogger Katrola escreveu...

A senhora ainda é Ministra da Cultura ?

Quais são as suas fantasias sobre a doação da Colecção Berardo ?

Acha ilegítimo que o Senhor Berardo coloque as condições para que a colecção fique no nosso país?

O que lhe mete medo e, sobretudo, o que a impede de decidir e explicar-se, Sra. Ministra ? Não é para me gabar, mas para que queremos uma Ministra como esta que coloca tantas dificuldades para que a colecção Berardo fique em Portugal ?

20 fevereiro, 2006 16:19  
Blogger Periférico escreveu...

Felizmente a Periferia tem Serralves e Serralves meus caros não é nada ultraperiférica em termos museológicos, bem pelo contrário! Ao menos nisso o Norte está claramente à frente de Lisboa!

Quanto à ministra parece-me ser fraca e comprar guerras inúteis e excusadas! Basta ver o desfecho do caso do túnel de ceuta na cidade do Porto para se ficar perpelexo porque andou tanto tempo a obra embargada!

Saudações periféricas

20 fevereiro, 2006 17:24  
Blogger Roteia escreveu...

Caro Periférico: Basta comparar com as cidades espanholas... Até a periférica Badajoz tem o seu museu de arte contemporânea. Portugal continua museológicamente ultraperiférico, porque as suas estruturas museológicas nacionais não têm relevância internacional. Serralves, no norte, é um belo museu mas as suas colecções têm como início cronológico a década de 1960; o Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian, no sul, é também um bom museu mas as suas colecções estão centradas na arte portuguesa.
Queríamos mais, tanto no Porto como em Lisboa, mas também em Braga, Coimbra, Évora e outras cidades.
A dimensão internacional e o âmbito cronológico da Colecção Berardo têm implicações importantes na representatividade europeia do país.
Não o preocupa que a nossa (de todos) ultraperiférica capital não tenha uma estrutura semelhante às de Madrid, Londres, Paris, Bruxelas, Viena, e por aí fora?

Quanto à saída do túnel de ceuta mesmo em frente da porta do Museu Soares dos Reis, à distância de um passeio, tive ocasião de o ver ao vivo há dias. É inacreditavel e escandaloso. Eis um exemplo fatal de que vivemos num país culturalmente ultraperiférico. Neste campo, a ministra só fez o que lhe competia. Aliàs os anteriores ministros também fizeram o mesmo, porque a legislação e as regras de bom senso não foram cumpridas pela autarquia. Infelizmente em Portugal os autarcas que compram guerras aos governos ainda são compensados pelo bairrismo eleitoral.
Neste blog, devido à nossa ultraperiférica condição, pretendemos não entrar em guerras de quintais. Para isso já chega o que basta.

21 fevereiro, 2006 05:33  
Anonymous Anónimo escreveu...

Mejor la Ministra Pires de Lima que Carmen (Pixie y Dixie) Calvo, la Ministra Descuartizadora del Archivo de Salamanca....

08 março, 2006 08:07  
Blogger les-éco-brico-déco-de-jo escreveu...

i Que bueno !
Buen rollo de un creator de Francia...

12 março, 2006 04:46  

Enviar um comentário

Ligações para este artigo:

Criar uma hiperligação

<< Home